Cidades importantes no ministério de Jesus

CAFARNAUM estava situada na costa noroeste do mar da Galiléia, em um lugar chamado Tell Hum. Foi o principal centro comercial e social da região na época do ministério de Jesus. Na grande estrada entre a Síria e a Palestina, eram recolhidos os impostos alfandegários, e uma guarnição romana achava-se estacionada ali. Jesus veio a esse lugar após sair de Nazaré e chegou a morar na casa de Pedro. Nesse lugar, convocou Mateus e aí ensinou, pregou e realizou muitos milagres. Cristo profetizou a queda de Cafarnaum, e atualmente montes de pedras de basalto negro provenientes das edificações estendem-se por 1,5 km ao longo da costa do mar. Por todos os lados, na superfície, aparecem linhas tênues de edificações.
Muitos crêem que seja essa a sinagoga edificada pelo centurião, a qual Jesus visitou em Cafarnaum, porém a maioria dos arqueólogos acredita que ela foi erguida no século II ou III d.C., no suposto lugar da sinagoga da época de Cristo. Eles baseiam suas conclusões na arquitetura e especialmente na ornamentação. Ver tb: Mt 4:13, Mt 8:5, Mt 11:23, Mt 17:24, Mc 1:21, Mc 2:1, Lc 4:23, Lc 4:31, Lc 7:1, Jo 2:12, Jo 4:46, Jo 6:17, Jo 6:24, Jo 6:59

BETSAIDA era o povoado natal de Filipe, André e Pedro. Estava localizado na planície de Batia, a noroeste do local em que o rio Jordão desemboca no mar da Galiléia. A planície estende-se por 3 km ao longo das margens do Jordão e por 1,5 km na direção leste, até as montanhas. Et-Tell é um pequeno monte na larga margem norte da planície geralmente identificada como Betsaida. Alguns, porém, acreditam que as ruínas chamadas el-Araj, na costa do mar, diretamente a leste de onde o rio desemboca, seja a localização mais provável de Betsaida, “o povoado de pescadores”. Alguns pensam que a “Betsaida da Galiléia” (Jo 12:21) era outra cidade e que existiam dois lugares chamados Betsaida, um dos quais situado a oeste do Jordão, nas proximidades de Cafarnaum. Mas as referências bíblicas, em termos gerais, parecem indicar que havia somente uma cidade chamada Betsaida, e com isso concordam as tradições mais antigas. Talvez escavações futuras esclareçam a dúvida, mas a incerteza quanto a localização exata da cidade não atinge as narrativas dos evangelhos.
Ver tb: Mt 11:21, Mc 6:45, Mc 8:22, Lc 9:10, Lc 10:13, Jo 1:44, Jo 12:21

NAZARÉ é a cidade na qual viveram Maria e José e também onde residiu Jesus até sua revelação como o Messias, na idade de trinta anos. A cidade está parcialmente isolada nas montanhas, na metade do caminho entre o Mediterrâneo e o mar da Galiléia. Porém, ficava perto da freqüentada estrada entre o Egito e a Mesopotâmia. Ali, sem dúvida, Jesus viu passar caravanas de muitas nacionalidades. A Igreja da Anunciação, que tradicionalmente assinala o lugar onde morava a Virgem Maria, foi edificada sobre os alicerces de uma igreja erguida pelos cruzados no século XII. Debaixo da nave, há uma capela, na qual se encontra a inscrição latina “Aqui o Verbo se fez carne” (Jo 1:14).
Ainda são realizadas escavações debaixo da igreja. O lugar mais autêntico de Nazaré com relação à sagrada família é o poço da Virgem, o único local onde existe água. A verdadeira fonte de água é um manancial nas ladeiras, quase 1,5 km fora da cidade, do qual um conduto leva a água a esse poço coberto. Maria provavelmente vinha a esse poço com o tradicional cântaro de água sobre a cabeça, e o menino Jesus talvez a acompanhasse algumas vezes.
Ver tb: Pv 21:3, Mt 2:23, Mt 4:13, Mc 1:9, Mc 6:1, Lc 1:26, Lc 2:4, Lc 2:39, Lc 4:16, Jo 1:46

BETÂNIA era a cidade em que viviam Marta, Maria e Lázaro. Seu nome atual é el-Azariyeh (“o lugar de Lázaro”). Está situada 3 km a leste de Jerusalém, na ladeira oriental do monte das Oliveiras. As ruínas mais antigas constam de uma tumba em forma de cova, que alguns afirmam ser o sepulcro de Lázaro. Há também ruínas de duas edificações, as quais alguns guias afirmam aos turistas (sem qualquer base histórica) serem as ruínas da casa de Simão, o leproso, e a casa de Marta, Maria e Lázaro.
A suposta “tumba de Lázaro” é uma caverna à qual se chega por meio de uns 25 degraus. É pouco provável que tenha relação com a sepultura de Lázaro, ainda que seja apontada como tal desde o ano 300 d.C. As ruínas em forma de torres gêmeas conhecidas como a casa de Simão, o leproso, onde Jesus foi ungido com um perfume caríssimo (Mc 14:3-9), são de origem medieval. É também improvável que as ruínas sem teto apontadas como o lugar em que Marta “o recebeu em sua casa” (Lc 10:38) seja a mesma casa que Jesus e seus discípulos visitavam com freqüência em Betânia.
Todavia, essas três ruínas comemoram incidentes sagrados na vida de nosso Senhor.
Ver tb: Mt 21:2, Mt 26:6, Mc 11:11, Mc 14:3, Lc 10:38, Lc 19:29, Jo 11:18, Jo 12:1